top of page

Maximizando o Lucro da Vida



Os impulsionadores de uma boa vida são os bons relacionamentos com a família e amigos, o trabalho gratificante, a espiritualidade e a saúde física/mental. Como nunca temos todo o tempo e dinheiro para fazer tudo isso, a pergunta é: como alocamos nosso tempo e dinheiro para "maximizar" nossa felicidade?


Para responder a essa pergunta, precisamos entender os melhores “retornos de investimento” dependendo do seu estágio de vida e dos trade-offs envolvidos nessas escolhas. Vamos nos aprofundar.


Dinheiro compoe . Se você investir US$ 200 por mês a partir dos 20 anos em um fundo de bolsa, deverá ter US$ 500.000 aos 60 anos. O dinheiro aumenta exponencialmente, portanto, concentrar-se em maximizar sua renda desde cedo faz todo o sentido. No entanto, não maximize a renda antes de encontrar um trabalho que você ame e possa fazer bem. A felicidade requer trabalho que proporcione um senso de propósito, engajamento e realização.


Seu investimento em trabalho se compõe em fases. Estudos mostraram que você precisa de 10.000 horas de prática para dominar seu trabalho. Então, nesse sentido, o trabalho se compõe. No entanto, há um truque: seu pico de desempenho no trabalho acontece entre 20 e 40 anos, dependendo da sua profissão. Depois disso, sua inteligência fluida declina, e seu investimento no trabalho produz retornos decrescentes. Quando isso acontecer, você deve passar para uma segunda fase da vida profissional, aproveitando a inteligência "cristalizada" (sabedoria) que pode começar a se acumular novamente.


Relações familiares. A família é um investimento considerável. Vai e deve consumir o tempo de outros importantes impulsionadores da felicidade. Normalmente, o "horário nobre" no trabalho coincide com as crianças bem jovens. O investimento “familiar” é muito sensível ao tempo. Pessoas entre 15 e 20 anos passam, em média, 200 minutos por dia com os pais. Esse número cai 60% quando eles completam 30 anos. A maior parte do tempo gasto com as crianças acontecerá antes de irem para a faculdade. O tempo com as crianças é precioso E muito curto. Se você for um pai ausente neste período crucial de suas vidas, será difícil se tornar o melhor amigo deles aos 30 anos. A solidão mata, e seu investimento em sua família é o melhor "hedge" que você pode ter.


Em resumo, aqui estão apenas alguns pensamentos provocadores de um economista que pensa sobre vida, alocação de recursos e otimização de retorno.


- Não se contente jovem com um trabalho que não te satisfaz. Em seguida, concentre-se em maximizar sua renda a partir dos 20 anos até decidir ter uma família.

- Compreenda suas escolhas e suas consequências em torno da família. Você pode se casar e ter filhos mais tarde na vida (quando você espera ter mais recursos financeiros e opção de trabalho) ou escolher um trabalho que acomode o investimento de tempo que você precisa para sua família. Você não pode dedicar 100% ao trabalho e à família simultaneamente. Você também pode optar por sacrificar sua família, mas não pense que eles não farão o mesmo com você quando você for velho.


Vida feliz,


Pedro


Comentários


bottom of page